quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008


Paixão Ardente

Oriza Martins

Esta chama voraz que arde em meu peito

Me atordoa, me embala, me agita no leito,

Em pseudos e doces espasmos de dor...

É dor saborosa, que leva à loucura,

Que acalma, aquece, entorpece, tortura,

Insolentes e castos eflúvios de amor...

Que são estas ondas tão incoerentes,

De sons e de cores, fortes, envolventes,

De tantos sabores paradoxais?

Serão os sentidos que estão me enganando,

Ou apenas os sonhos que vão me embalando,

Em meus dias maduros... tristes... outonais?

Confesso... ... é o grito, o brado, o clamor,

a explosão, Louco sentimento mesclado em paixão,

Que sinto por ti e é tão delirante...

Que só se acalma quando adormeço

E do mundo, da vida, das dores esqueço,

No pouso encantado de teu peito amante...

Nenhum comentário: